Participe de nossas redes sociais:
siga o EncontraRN no Facebook
siga o EncontraRN no twitter
participe da página EncontraRN no Google+


É o estado mais seguro do Nordeste brasileiro, e o 2º mais seguro do Brasil. O Rio Grande do Norte possui um dos litorais mais belos do país, e é muito procurado por turistas. É aqui também que pode se encontrar o 2º ar mais puro do mundo, mas é mais aconchegante que a Antártida pelo menos.






Praia da Pipa - Rio Grande do Norte

Sobre o estado do Rio Grande do Norte (RN)

O Rio Grande do Norte é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Devido à sua localização geográfica é considerado como a "esquina do continente" americano, ocupa a posição nordeste da/na Região Nordeste e tem como limites a norte e a leste o Oceano Atlântico, ao sul com a Paraíba e a oeste com o Ceará. É dividido em 167 municípios e ocupa uma área de 52.796,791 km², sendo um pouco maior que a Costa Rica. Sua capital é a cidade de Natal. O estado apresenta o segundo melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), o menor índice de mortalidade infantil, o menor índice de desnutrição e a segunda maior expectativa de vida da Região Nordeste, além de ser o segundo estado mais seguro do país (atrás apenas de Santa Catarina). A capital do estado também é considerada a capital menos violenta do país e décima-quarta cidade mais segura do Brasil.

Outras cidades importantes do Rio Grande do Norte são São Gonçalo do Amarante, Ceará-Mirim, Macaíba e João Câmara. Sua Capital, Natal, reúne em sua região metropolitana cerca de 1,3 milhões de habitantes, sendo a 4º maior região metropolitana do Nordeste, 6º maior do Norte/Nordeste e 15º maior do Brasil. Sua segunda maior cidade, Mossoró, possui uma população de 254.032 mil habitantes, sendo a 19º maior cidade da Região Nordeste e uma das maiores do interior nordestino, além de ser polo de significativa importância para o estado.

Embora o maior litoral dentre os estados brasileiros seja o da Bahia, o Rio Grande do Norte é o com maior projeção para o Atlântico, já que se situa em uma região onde o litoral brasileiro faz um ângulo agudo, a chamada "esquina do Brasil".

História

Com a distribuição das capitanias hereditárias, o então Rio Grande é doado, em 1535, a João de Barros e Aires da Cunha, pelo Rei Dom João III de Portugal. A colonização fracassa e os franceses, que traficavam o pau-brasil, passam a dominar a área até 1598, quando os portugueses, liderados por Manuel de Mascarenhas Homem e Jerônimo de Albuquerque, iniciaram a construção do Forte dos Reis Magos para garantir a posse da terra. O domínio lusitano durou até 1634, quando o Forte dos Reis Magos caiu em poder dos holandeses, que só foram expulsos em 1654.

Em 1701, após ser dirigido pelo governo da Bahia, o Estado do Rio Grande do Norte passou ao controle da capitania de Pernambuco. Em 1817, a capitania aderiu à Revolução Pernambucana, instalando-se na cidade de Natal uma junta do governo provisório. Com o fracasso da rebelião, aderiu ao Império e tornou-se província em 1822. Em 1889, com a República, transformou-se em Estado.

Geografia

Natal, capital do Rio Grande do Norte
Natal, capital do estado

Rio Grande do Norte é dominado por seu litoral. O Estado é famoso por suas praias e dunas de areia , e o ar é, segundo a NASA , o segundo mais limpo no mundo depois da Antártida.

Clima

Dois climas predominam: tropical úmido, na parte oriental do litoral , e semi-árido, nos demais (maior parte) do Estado (incluindo a costa norte).

Vegetação

A Mata Atlântica que cobria a maior parte da costa do Brasil teve sua extremidade norte no sul do Rio Grande do Norte. A zona norte de Natal, a capital, está sob as dunas, um tipo de formação associada com a erosão eólica dos ventos que são abundantes no litoral do Estado. Há também muitos manguezais no estado, e o interior é dominado pela vegetação da caatinga.

Relevo

Apresentando um relevo modesto, com mais de 80% de sua área possuindo menos de 300m de altura, tem como rios principais o Potenji (que corta a capital), Moçoró, Apodi, Assu, Piranhas, Trairi, Jundiaí, Jacu, Seridó e Curimataú. As ilhas do Atol das Rocas também pertencem ao estado. O relevo em geral é caracterizado pelas planícies costeiras e as planícies que acompanham as principais bacias hidrográficas do Estado como a do Rio Açu, a do Rio Apodi, a do Rio Potengi, e as dentre outros rios (a grande maioria) que nos períodos anuais de seca são intermitentes.

Existem também planaltos e chapadas no interior, onde em alguns casos avançam até o litoral leste-sul e norte, implicando na formação de falésias.

Na divisa com o Ceará, ergue-se a Chapada do Apodi, delimitando a fronteira entre os Estados e finalizando na Serra do Coqueiro, na tríplice divisa com a Paraíba.

O Pico do Cabugi e seus 590 metros é um dos poucos vulcões extintos identificados no Brasil. O Atol das Rocas no Oceano Atlântico, 260 km a noroeste de Natal, também pertence ao Estado do Rio Grande do Norte.

Demografia

A taxa de urbanização é de 72,4% (2006), com um crescimento populacional estimado em 1,6% (1991-2000) e com aproximadamente 832 mil domicílios, segundo o PNAD.

Cor/Raça Porcentagem
Brancos 47,1%
Negros 3,9%
Pardos 48,5%
Amarelos ou indígenas 0,4%


Economia

Ponte Newton Navarro no Rio Grande do Norte
Ponte Newton Navarro.

    O Rio Grande do Norte é o que melhor apresenta índices de emprego formal do Nordeste, segundo o IBGE.
    Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), o Rio Grande do Norte paga o segundo melhor salário do Nordeste para professores da rede estadual.

    Agropecuária

    A agricultura do estado é a que mais cresce em 2002, apoiada na expansão da fruticultura irrigada e, principalmente, na cana-de-açúcar (produzida nesse mesmo ano em um total de 2.011.241 t). Mandioca, milho, coco e melão são outras culturas de destaque nesse crescimento.

    As principais atividades do Rio Grande do Norte concentram-se nas áreas de Agricultura: castanha-de-caju, coco-da-baía, arroz, mandioca (esses últimos em processo de expansão), cultivo de algodão, banana, cana-de-açúcar, feijão, milho, batata-doce, sisal, fumo, abacaxi e mamona; Pecuária: bovina, suínos, avicultura; Pesca/Extração vegetal: Carnaúba e Mineração: sal marinho, calcário, diatomito, estanho, caulim, gás natural, petróleo, tungstênio, feldspato, nióbio.

    Indústria

    A FIERN tem catalogadas mais de 2.900 indústrias. Nesse universo, algumas se destacam quando analisadas sob a ótica de geração de riqueza, geração de emprego e efeitos multiplicadores dentro de suas cadeias produtivas como, por exemplo, aquelas que atuam no segmento de petróleo e gás natural, nos setores têxtil, extração e refino de sal marinho, do vestuário, de alimentos e da construção civil.

    Mossoró no Rio Grande do Norte
    Mossoró, segunda cidade mais importante do estado e o maior produtor em terra de petróleo do Brasil.

    A principal atividade econômica do Estado do Rio Grande do Norte é a extração e o processamento de petróleo, sendo o maior produtor em terra do Brasil e um dos principais abastecedores de gás para o Nordeste.

    Infraestrutura

    Educação

    Resultados no ENEM
    Ano Português Redação
    2006
    Média
    34,20 (13º)
    36,90
    51,27 (12º)
    52,08
    2007
    Média
    47,00 (13º)
    51,52
    54,10 (19º)
    55,99
    2008
    Média
    37,47 (14º)
    41,69
    57,04 (22º)
    59,35

    A Universidade Federal do Rio Grande do Norte, localizada na cidade de Natal, é o principal centro de ensino universitário e de pesquisa científica do estado. Essa universidade está localizada na capital e por isso recebe um grande fluxo de pessoas, principalmente estudantes. A EAJ (Escola Agrícola de Jundiaí) faz parte da UFRN, ela é localizada no municipio de Macaíba na Região metropolitana de Natal. A Escola Agrícola de Jundiaí é especializada nos cursos técnicos de agropecuária, Agroindustria e zootecnia, mais agora no ano de 2010 implantaram na Escola Agrícola de Jundiaí o curso técnico de Informática. Os cursos técnicos da EAJ podem ser integrados ao ensino médio ou subsequente(pós o ensino médio).

    O estado conta também com a UERN e a UFERSA, ambas centradas em Mossoró. Tendo a primeira Campus espalhados por várias cidades do estado. Destaca-se também a Universidade Potiguar (UNP). Universidade particular com vários cursos nas mais diversas áreas. Universidade Potiguar (UnP), Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves, FARN, FACEX, Faculdade de Natal — FAL, Câmara Cascudo, FANEC, Maurício de Nassau, União Americana e FACEN são algumas outras faculdades particulares do estado.

    Instituto Internacional de Neurociências de Natal - Rio Grande do Norte
    Instituto Internacional de Neurociências de Natal.

    Em 2006 foi inaugurado o Instituto Internacional de Neurociências de Natal, com sede na capital potiguar. Tal iniciativa, idealizada pelo Neurocientista Miguel Nicolelis (considerado um dos 20 mais importantes neurocientistas em atividade no mundo), visa descentralizar a pesquisa nacional, atualmente restrita às regiões Sudeste e Sul.

     

Índice


Guias no Rio Grande do Norte

Outros Estados

Dados

Gentílico Potiguar / Norte-rio-grandense

Bandeira do Rio Grande do Norte
(Bandeira)

Brasão do Rio Grande do Norte
(Brasão)

Localização

Região Nordeste
Estados limítrofes: Paraíba e Ceará
Mesorregiões: 4
Microrregiões: 19
Municípios: 167

Capital

Natal

Governo (2011 a 2014)

Governador Rosalba Ciarlini (DEM)
Deputados Federais: 8
Deputados Estaduais: 24
Senadores:Garibaldi Alves Filho (PMDB), José Agripino Maia (DEM), Garibaldi Alves (PMDB)

Indicadores (2008)

Esper. de vida 71,1 anos (19º)
Mort. Infantil 32,2‰ nasc. (23º)
Analfabetismo 18,1% (22º)
IDH 0,738 (21º) - médio - 2005

Características geográficas

Área 52 796,791 km² (22º)
População
3 137 541 hab. (18º) (2009)
Densidade
59,43 hab./km² (10º)
Altitude
abaixo de 868 metros
Clima
tropical (BSh, As)
Fuso horário UTC-3

Economia (2008)

PIB R$25,481 bilhões (19º)
PIB per capita R$8.203 (20º)

Site do governo

www.rn.gov.br